Macha do de Einstein
/
Guia de estilos - As características e estilos de cerveja tipo lager. A mais consumida no Brasil!

Guia de estilos - As características e estilos de cerveja tipo lager. A mais consumida no Brasil!

  • 11.01.2018
  • por Emerson Jasmin

Fala galera cervejeira ... estamos de volta aqui no Boteco do Bira !!!

Nesse segundo encontro vamos lançar um tópico semanal: o "Guia de Estilos", um tópico técnico onde buscaremos apresentar as peculiaridades de cada estilo de cerveja, sempre nos baseando no BJCP (Beer Judge Certification Program) que é uma padronização difundida e aceita por toda a comunidade cervejeira internacional.

Mas antes, vamos falar um pouco sobre o termo "DEGUSTAÇÃO".

Degustação quer dizer: "experiência de caráter sensorial; experimentar através dos sentidos; saborear; provar". Pois é, degustação de cerveja!! Isso soa meio estranho pra você? Há quem diga que cervejeiro raiz tem que BEBER cerveja! Quem quiser degustar que vá beber vinho!!

Muito bem... Num passado bem recente, quando as cervejas acessíveis a maioria dos cervejeiros eram as industriais de massa, as cervejas populares, essa afirmação era corretíssima. Não que as cervejas ditas populares não tenham o seu valor, mas elas possuem pouca, ou quase nenhuma informação sensorial. Vamos refletir: faz algum sentido utilizar o termo DEGUSTAR para produtos que não apresentam diferenças entre si e que são pobres, sensorialmente falando? Claro que não! Mas isso quer dizer que as cervejas populares são ruins? Claro que não novamente!!

Agora vamos refletir mais um pouco: imagine uma infinidade de lúpulos diferentes, maltes de diversas origens e ingredientes que emprestam sabores e aromas diversificados. Imaginem a infinidade de sensações que tudo isso, cuidadosamente misturado, irá proporcionar?

Olhando por esse lado, temos que concordar que só o termo DEGUSTAR pode definir o que realmente sentimos ao provar uma cerveja especial de qualidade, portanto não há nada de errado em se "roubar" o termo adotado pelos enólogos e aplica-lo a nossa adorada cerveja. Então, vamos deixar de preconceitos com a palavra e vamos degustar boas cervejas?

Em uma degustação devemos utilizar os sentidos, afinal é uma experiência sensorial. Basicamente utilize a visão para identificar a cor, a transparência e a cremosidade da espuma. Com o olfato experimente avaliar os aromas do malte e do lúpulo, sinta o cheiro da cerveja em repouso e após uma leve agitação, pelo paladar busque os sabores, o amargor ou o adocicado, se é encorpada ou seca, se seu sabor é persistente ou não. Compare essas sensações entre diferentes estilos de cervejas e com o passar do tempo você irá entender que apenas o termo degustação cabe ao se experimentar uma boa cerveja!

Em outras oportunidades iremos abordar com mais detalhes os procedimentos para uma correta degustação de cerveja.

Guia de estilos de cerveja

Antes de iniciarmos nosso "Guia de Estilos", é importante trazer ao conhecimento de todos que as cervejas são classificadas primeiramente pelo tipo da Levedura utilizada. A levedura é responsável pela transformação do açúcar em álcool durante a fase de fermentação e junto com essa transformação outras características são definidas na cerveja. Muito técnico, não é? Mas vamos em frente... Existem dois tipos básicos de levedura: as de alta fermentação, que atuam na parte superior do fermentador e são as chamadas "ALES" e as de baixa fermentação, que atuam na parte inferior do fermentador e são as chamadas "LAGER". Existe ainda um terceiro tipo de levedura chamada "LAMBIC", ou levedura selvagem, que devido ao seu pouco uso, não vamos abordar aqui.

Agora vocês não podem mais confundir: ALE e LAGER são classificações por tipo de levedura e não ESTILOS, embora estas denominações sejam utilizadas no nome de alguns estilos, como o que vamos abordar hoje.

Dito isto, nessa primeira edição do nosso "Guia de Estilos" vamos apresentar um estilo do tipo "LAGER", muito conhecido no mercado brasileiro:

Exemplos de estilos de cerveja lager

Standard American Lager (Nomenclatura BJCP 2015 ? 1B):

As cervejas deste estilo pertencem a família das Pale Lager e em uma impressão geral são muito claras, altamente carbonatadas (entenda como gaseificadas) e de corpo leve.

Aparência: límpida, cor amarelo pálido e com espuma branca e nada persistente.

Aroma: de baixo a nenhum aroma presente.

Sabor: sabores de lúpulos praticamente ausentes, amargor baixo com um final seco e fresco.

Ingredientes: malte de cevada com um percentual muito alto (acima de 40%) de adjuntos como milho e arroz (classificados no mercado como cereais não maltados) e lúpulos americanos.

Classificação de Amargor: de 8 à 18 IBU

Classificação Alcoólica: de 4,2 a 5,3%

Este estilo contempla as cervejas populares das grandes marcas, erroneamente classificadas como Pilsner ou Pilsen no mercado brasileiro. A origem deste estilo está na imigração de alemães para a América do Norte, que iniciaram a produção de uma cerveja baseada nas Pilsner originarias da Alemanha. Com o passar dos anos o estilo foi se modernizando para alcançar o gosto de uma grande parte da população, perdendo totalmente as referências de sabor, aroma e amargor das tradicionais Pilsner europeias. É uma cerveja refrescante e própria para o consumo em regiões quentes, devendo obrigatoriamente ser servida a baixas temperaturas, como diz o brasileiro, estupidamente gelada.

Exemplos: Budweiser, Miller, Brahma, Skol, Antártica, etc.

Bom pessoal, esta semana ficamos por aqui mas aguardamos vocês no próximo LOCAL BREW, com muito mais sobre o mundo das cervejas.

Leia o primeiro post da nossa coluna "Cerveja artesanal ou especial?"

---------------------Publicidade-----------------------

CCAA Cabo Frio